Podemos separar o trabalho doméstico do julgamento moral?

Já falamos aqui como somos socializadas para acreditar que ser uma boa dona de casa é parte integrante de ser uma boa mulher, ou ser uma boa esposa, ou ser uma boa mãe, concordam?

Sarah Thébaud, Professora Associada de Sociologia da University of California, Santa Barbara, explicou à Apartment Therapy, num post recente publicado no site, que as pessoas também “têm maiores expectativas de limpeza para as mulheres do que para os homens”, mesmo quando têm os mesmos compromissos de trabalho, cuidado ou relacionamento. Portanto, a “penalidade social” por ter uma casa bagunçada tende a ser muito maior para as mulheres, e essa pressão para limpar cria uma carga cognitiva adicional. 

Precisamos romper com a tendência natural que temos a nos punir por uma pia de louça que não foi lavada antes de dormir, por uma cama que só é arrumada nos finais de semana e por crianças cansadas dormindo sem banho.

Não é um processo fácil, porque constantemente somos motivadas pela vergonha de parecermos incompetentes ao invés de buscarmos um lar realmente funcional para a nossa rotina. Já recebemos as pessoas em nossas casas nos desculpando ou justificando a “bagunça”. Precisamos urgentemente mudarmos a nossa perspectiva.

Pensemos então de maneira mais sensível e menos punitiva, preenchendo nossos espaços com atos de gentileza com nós mesmas.

Como começar?

1- Faça as tarefas de maneira mais funcional durante a semana

Por favor entenda que lavar roupas 3x por semana talvez seja demais ou que encostar a barriga na pia a cada refeição é exaustivo. Não seria possível lavar todas as roupas da casa uma vez na semana ou juntar os pratos na pia em um único horário do dia? Quem estipulou na sua dinâmica familiar que camas impecáveis estimula o bem-estar nunca teve que sair correndo sem café da manhã pro trabalho pra pegar um ônibus cheio, mirmã.

2- Tenha uma programação

Faça um plano semanal individual ou compartilhando tarefas entre as pessoas que moram com você, é muito mais difícil cumprir tarefas que estão soltas, no aleatório. Mas sem entrar em paranoias de limpeza, porque a real é que a casa precisa funcionar pra quem vive nela e não o contrário.

3- Divida por 5 áreas

Lide com categorias, uma após a outra e no fim sua casa se tornará mais agradável:

#Lixo

#Pratos

#Lavanderia

#Coisas que te lugar

#Coisas que não tem lugar

Vamos pensar juntas em mais soluções?

COMPARTILHE
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here