Uma casa no interior da Holanda…

…Na cidadezinha de Monnickendam precisamente. Foi nela onde o grupo de amigos queridos com o qual viajamos pra Holanda ficou. Eu e marido ficamos em outra cidadezinha também muito linda, Purmerend. Quando digo linda, é linda tipo “quadro que a gente via na casa da vó e achava que era mentira.” Nem preciso dizer como passar pela Holanda foi mágico, né?

PurmerendLá no Ateliê falei o motivo de tanto encantamento. Mas o que quero compartilhar por aqui é o tipo de casinha que encontrei em Monnickendam. É mais uma vez de encantar. Ao menos me encantou, porque me lembrou as casas de bonecas dos livros que lia quando era pequena. São delicadas, românticas, funcionais e acima de tudo, aconchegantes. Cheias de coisinhas lindas, floreiras, meias cortinas. E sem essa de divisões, sabe? Uma casa mais “masculina” ou mais “feminina”. O que é bem geral é o tipo com tijolos aparentes avermelhados, madeira pesada nas esquadrias e na estrutura da casa também.

1Outro detalhe é o tamanho das janelas e do peitoril. A altura é bem pouquinha em relação as nossas, quase saindo do chão, por isso a luminosidade é abundante e a visão também. Assim pude ver muita coisa dentro da casa alheia. Êê coisa feia ficar curiando.. 😀 Mas ó, essa passagem rápida pelo País Baixo me fez refletir sobre o nosso conceito de privacidade. Que no nosso caso, tá diretamente ligado à segurança.

Os tijolinhos das casas se confundem com os das ruas. Muitas casas têm os telhados triangulares e as mansardas. Mansarda é esta espécie de janelinha que sai do telhado como na foto da esquerda, tá vendo? São cômodos aproveitados mesmo, para quarto ou escritório, por exemplo. Tudo segue este padrão, tanto as casas, quanto as lojinhas. Flores, luminárias, ai, ai..

3Quando pensei que eram mimosas, não entendi até ver de perto. As portas com banquinhos e coração recortado. Olha o detalhe na de número 55? Uma tábua de carne com rolinho e cortador de biscoito ao lado da campainha. Ainnnn, morri <3

11Daí vi uma cena linda, que PRECISAVA registrar pra mostrar procêis. Só que me aparece o filho do dono da casa e começa a rebolar, a pirraçar, fazer gracéénha pra câmera.. repara… Aí pensei: “Se eu pedir licença vai ser pior..” Porque se tem uma coisa pirracenta é menino perturbado. Aí, tu sabe aquela onda que rola no Instagram de “I´m not cool” pra gente contar nossos podres? Pois é, te conto um meu agora. Tramei um plano malévolo pra tirar o menino da frente da câmera. Ele ficou lá, rebolando, talz, fazendo gracinha, aí chamei o trem de canto: “Ei, menino véi, vem cá.. Ó, nessa casa aqui ao lado, têm dois brazilians boys que querem jogar futebol… quer não?” Na hora o zói do galego arregalou. Voltei pra casa ainda sem a foto que queria e esperei. Quando pensa que não, ó o galeguinho tocando a sirene chamando os “boys” pra jogar? Só que, o que não expliquei pra ele era que, os boys em questão, eram marido e um amigo gaúcho, respectivamente com 32 e 34 anos hahuahauhau Aii, como tô bandida! 😀

9Mas todos se divertiram. Os grandes voltaram a ser crianças e us mininu aprenderam com os brazucas bom de bola. Tomaram chápeu, bola assim, assado… Aí o jogo rolou solto! Ó lá a pelada em plena rua do interior da Holanda?! Só faltou montar o gol com duas sandálias velhas ou duas pedras como a gente faz lá na Bâea.

10Jogo rolou, menino vazou e eu cliquei. O que não se faz por uma foto, hein… Mas diz se não é uma lindeza essa fachada assim com tanta doçura??

4O que pude ver no interior das casas é que os estilos e conceitos variam entre o contemporâneo e o rústico misturado com o shabby. Shabby é romântico, com o uso de madeira desgastas, tons pastéis, materiais mais naturais, como madeira, pedra, corda. Piso em madeira, paredes também. As lojinhas de decoração da própria cidade me deram alguns exemplos por meio dos acessórios.

17

16A cozinha da casa do menino, o da história lá de cima era assim, muito igual mesmo. Mas não entrei pra fotografar, aí também já era pedir demais 😀 Mas mais rústica, com esta pia assim, cuba alta e branca, paredes revestida com madeira e clarinha.

15
Foto daqui

Já a casa que o grupo ficou, era vintage só por fora. Por dentro, bem contemporânea e aconchegante, pra uma família com 3 filhos. O primeiro cômodo quando abre a porta é a cozinha e não a sala. Moderna pra caramba, com tudo de última geração pra cozinhar.

13
Foto: Airbnb

E ainda, uma SMEG. Caí dura… poft…

14A sala é voltada para o quintal, espaçosa e iluminada. Base de cores neutras e alguns objetos coloridos.

12
Foto: Airbnb

O quintal é uma graça! Há a mesa em madeira pra toda a familia aproveitar quando o sol abre. Notem que as casas são grudadinhas uma na outra. O que as separam são apenas cercas verdes.

19Se tem a mesa para os grandes, tem também para os pequenos. E ao lado, uma hortinha e estufa.

20Olha que ideia legal?

21E o que me fez endoidar ainda mais: uma pequena oficina de marcenaria nos fundos da casa! Tanto para pequenos trabalhos, quanto pra cortar a madeira da lareira.

22O dia foi terminando e meu passeio seguiu pelas ruazinhas. Olhei tudo pra não esquecer desse lugar tão encantador. Foi bom ver de perto um estilo tão diferente do meu e que só via por sites, revistas ou livros gringos. Até um dia, Holanda! Beijos, pessouaal!

8

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

5 Comentários

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here