A Ana me catou de volta! E eu que tinha desistido de tudo por pura falta de tempo e inspiração, resolvi voltar com força total a dar minha contribuição mensal nesse blog que sou fã há muuuuuito tempo, uma das primeiras seguidoras e apaixonada por essa mulher que representa fortemente a mulher brasileira, nordestina, que trabalha pra caramba e se divide com a rotina dos filhos! Um viva à Ana!

Então, fiquei pensando o que trazer pra vcs. Bem, minha casa vcs já conhecem, né? Todas as mudanças que eu fiz nela também? Já falei sobre cabides, minha principal matéria prima. Então, pensei, pensei e resolvi trazer para vcs um pouco mais do meu universo particular. Minha maior paixão: a organização. Como minha casa é impecavelmente organizada, porque aqui casa de ferreiro o espeto é de ferro mesmo, resolvi mostrar pra vcs a casa dos meus amigos e a transformação que aconteceu quando propus a eles um mundo novo. E num é que eles adoraram a ideia? Através da organização feita na casa deles, mostrar pra vocês que pra ter uma vida organizada não é preciso ser rico, ter muitos armários ou investir fortunas em recursos. Organização é para todos! E meus amigos, são do tipo “gente como a gente”, não rola luxo, riqueza, é casa simples e em muitas delas, eu preciso fazer milagres pra trazer pra eles um pouco desse meu mundinho.

Trago pra vcs então, a casa da Nina e do Adrian, e do pequeno, apaixonante, delicioso e descolado Pedro! Vou começar lá em 2008 quando a Nina, adolescente foi fazer um curso de organização de armários que ministrei em Paraíba do Sul, aquela cidadezinha de 50 mil habitantes no norte do RJ e que é minha segunda casa. Amo esse lugar! Não “desgarramos” mais! Nina, a menina das mil ideias e talentos criativos, cresceu, casou com o Adrian, o homem que faz maravilhas na cozinha e dono do Sem Caô Hamburguer (link), e tiveram o pequeno Pedro.

Alugaram um AP que por ser antiguinho, tava beeeeem castigadinho. Precisava de um tapão no visual e eles deram a largada sozinhos. Muito orgulho desses dois viu? Quando eu cheguei nesse capítulo dessa história, Nina tava grávida e na verdade o meu objetivo era dar de presente para o Pedro um quarto organizado para que ele crescesse dentro desse contexto, já que eu e Nina sempre conversamos muito sobre isso e ela sempre me falou de como foi ruim ter crescido num ambiente desorganizado.  Mas aí ela resolveu usar o vale presente de um dia de organização no home office dela.

Vou explicar! Vou explicar!

Morar nesse RJ de hoje não tá fácil! E não vou nem entrar nesse mérito da violência, isso é fato! Tô falando de tudo caríssimo, e um casal com filho pequeno que tem que pagar aluguel, tem que rebolar e Nina e Adrian fazem isso com maestria. Assim, ela queria ressuscitar um quartinho de empregada cheio de tralhas e transformar ele no home office dela, que é Designer de profissão, mas é dada a tudo que transita no universo dos criativos. Faz brownie deliciosos, palhas italianas também, desenha que é um absurdo, faz tatoo (tô esperando a minha até hj) e agora está com uma grife de cordinhas para óculos. Danada a menina! É muito potencial criativo para um quartinho de uns 6 metros quadrados.

Não tínhamos nada, somente muita vontade de transformar o espaço. Grana zero. Objetos de organização, pouquíssimos que ela comprou em PS (Paraíba do Sul), beeeem mais barato que o RJ. Mas criatividade rolava na veia! E foi um tal de transferir móvel de um quarto para outro, tirar a estante de livros da sala, catar materiais pela casa que pudessem auxiliar no processo. Desconstruir para depois construir lindamente! Usamos vidros de conserva e vidrinhos que sobraram do chá de bebê do Pedro, tipo os de papinhas, para classificar miudezas como clips, borrachas etc. Os baldinhos já existiam pela casa, catamos tudo para setorizar as muitas canetas dessa garota criativa.

  

No final da história, a gente tinha um home office lindo, com mesa limpa e organizada para sentar  e trabalhar. Uma estante de apoio que deixou os livros pra trás e resolveu habitar no universo criativo abrigando canetas, papéis, blocos e parte do material dos muitos trabalhos dela. Um armário bem antigo que já existia no quarto, teve as portas removidas para receber caixas plásticas com os materiais grandes de trabalho como tecidos, tintas, colagens e até memórias, ah e uma coleção de máquinas fotográficas antigas que eu fiquei doida minha gente!!!! Ela tinha Contact preto fosco e e já foi cortando e escrevendo com Poska branca e letra linda para identificar as caixas. Muita coisa foi doada porque, como ela aprendeu comigo naquele curso de organização há quase dez anos atrás,  não existe organização sem desapego!

Em compensação ficamos com várias lacunas pela casa. Livros no chão da sala e uma ideia pré concebida na cabeça que fomos buscando ao longo do processo, mas ela já sabia o que queria. Criamos metas e estratégias para equacionar os problemas de organização. Aos poucos vão sendo cumpridas de acordo com o bolso e o tempo disponível. Agora, eles já tem prateleiras na sala para os livros e o cantinho literário ficou um espetáculo. Dá um bizú?

O quarto do Pedro? Enfim, será a próxima etapa da nossa meta de organização porque decorado ele já está. Coisas de Nina, “lindimorrer”!

E assim, vamos organizando a casa dos amigos e plantando sementinhas de organização por aí porque viver numa casa bagunçada, você não sabe o quão ruim é até viver numa organizada. Nina e Adrian que o diga.

Beijos e até a próxima! E quem quiser conhecer um pouquinho da minha arte, do meu mundinho, é só acessar: www.atelieordenar.com

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here