Depois de um bom tempo sem mostrar quase nada desse novo lar, estou aqui com uma tonelada de fotos e um post imenso. Torcendo pra que tu chegue no quartinho da área de serviço, nesse tour de respeito.

Tenho um vídeo pra editar ainda, mas ó, depois do padrão das gravações do programa “Fazer o quê?”  que estreia daqui a pouco (Aproveita e já se inscreve no canal), fiquei mal acostumada e meu vídeo tá uma vergonha, prometo destravar e fazer outro ainda esse mês, ainda esperando uma alma amiga caridosa e entendida chegar pra uma visita.

Estou morando em Recife, em um bairro onde tenho tudo perto (mercados, padarias, farmácias, etc) e ainda é um ponto que me faz chegar em Olinda, Boa viagem ou no centro da cidade em poucos minutos. Sai do meio do mato e estou no fervo da civilização. Sinto-me bem melhor, perto da minha família, dos meus amigos, em um apartamento confortável com um aluguel relativamente em conta para o tamanho do imóvel e localização, foi um achado.

NADA aqui ainda está decorado, tenho ainda algumas caixas pra desfazer, paredes pra pintar, móveis pra reposicionar, objetos que quero doar, trocar, comprar. Esse apartamento está cru, tem uma identidade que ainda não é totalmente minha, ou a Ana de agora, por mais que você olhe e ache ok, rs.

Vamos lá:

No hall de entrada ainda quero um móvel baixinho pra colocar sapatos (aqui em casa temos o costume de só entrarmos descalços), um quadro novo, um chaveiro, talvez pintar a porta na parte de dentro.

Minha sala é muito grande, pelo menos para os padrões moradia de Ana Medeiros, e resolvi deixar o meu escritório nela mesmo. Demorei um pouco pra acostumar com esses móveis aí, mas ainda vou resolver esse espaço também, delimitar e ao mesmo tempo integrar, uma confusão na minha cabeça. Em alguns momentos penso em pintar os móveis, em outros não. O tempo dirá.

A sala de jantar meio que ficou separando os dois espaços (escritório/sala de estar) e tá bom assim, to curtindo. Ainda quero reformar essa mesa também, tá anotado aqui no caderninho da esperança.

 

A sala de estar tem essa porta larga maravilhosa, minha paixão. O apartamento é antigo, privilégio. Os quadros estão apoiados, a samambaia meio seca, o sofá continua maravilhoso e salvando a pátria, a minha cadeirinha de balanço voltou do quarto das minhas sobrinhas (andava emprestada) e é isso que temos agora. Precisamos de um belo papel de parede, de uma luminária de piso, de cartazes, objetos…Meldels quantas ideias, cade esse minimalismo que nao me contagia? E a pergunta que nao quer calar: onde arrumar tempo e dinheiro? Deixem nos comentários.

A varanda ainda bem desorganizada, quero uma rede, Brasil! Vamos chegar lá…

Aqui o corredor que na verdade não pretendo fazer nada mesmo, somente limpar todos os riscos que o pioio menor fez nas paredes. Esse “A” hoje me soa um pouco estranho. Um dia um amigo me disse que esse A de Ana na parede é como curtir a própria foto no Instagram. Considerem que é um A da primeira palavra que vier a sua cabeça, seja amor ou anta, não importa.

As fotos não ficaram uma proeza, a cama estava meio bagunçada mesmo e não “reparem” na bagunça do meu armário. Pra quem adiou tanto mostrar esse apartamento, tinha que aproveitar o surto repentino que me deu, rs. Nem sei o que quero fazer por aqui, gostando de um quarto mais basicão.

O quarto dos pioios que já saiu duas vezes em revistas nos anos anteriores, agora encontra-se uma derrotinha. Aguardemos a revolução acontecer pra voltamos as bancas em 2019.

 

Quando estava gravando a próxima edição do Fazer o quê?, onde transformamos um banheiro, em algum momento desejei que a transformação fosse na minha própria casa, porque olha que banheirinho mais antiguinho precisando de um super tapa no visual.

Aqui o quartinho da TV/Hóspedes. Tenho planos audaciosos pra esse quarto e logo mais venho contar aqui, segundo semestre ele pode ser seu. Surpresa.

Agora vamos para a parte mais esquisita: a cozinha! Ela é grande, espaçosa, já me acostumei com os azulejos azuis, mas esse piso ainda me deixa tipo assim “essa cozinha parece que ta suja, socorro”. Quero colocar um piso vinílico, inclusive empresas patrocinem esse piso, obrigada. Ela ainda tem umas colunas e uma parede meio na diagonal que me deixa sem saber como organizar geladeira, fogão, armários #SOS. Tudo está fora do lugar, TUDO. É o cômodo que precisa de mais carinho e atenção, certeza.

A área de serviço nem se fala…

E temos um quartinho aqui atrás que virou depósito, mas que terá futuramente uma finalidade melhor, ainda nao sei qual, mas terá.

Teremos posts com antes e depois? Claro que sim. Muitos, como vocês podem perceber, rs. Obrigada por terem chegado até aqui, pela curiosidade ou pela saudade, feliz em voltar pro blog e ter a sua paciência e audiência de volta. Sugestões são aceitas, viu?

18 COMMENTS

  1. Quando vi a foto no insta, pensei: nossa tem nada da Ana nesse apê. Aí ao ler entendi. Olha que coisa boa, vários cômodos para mudar e mostrar para gente. Soluções bacanas e baixo custo viu, porque a parte do $$$$ tá curta, na verdade só tem um $. Boa sorte

  2. Miga linda . Tua força é incrível. Quando tudo se encaixa dentro da gente. As coisa por fora se arruma. O tempo só diz quando isso acontece. Esperar é um dom, porque mesmo sem percebemos esperamos as coisas acontecerem. E a espera nos faz aprender e aproveitar esse espaço de vida breve e louca . E quando pensamos e agora?….. O agora se reflete de maneiras diferente e incrível e o entendimento posterior nos fa acreditar que podemos sempre ser aquilo que somos ; mesmo que nos perdemos nos encontramos num momento justo de paz. E tranquilidade. A fé nos impulsiona pra frente e o Amor nos da força e nos leva pra cima. Amor em tudo e em todos que merecem. Fica aqui meu amor carinho por essa família linda e guerreira e essa força chamada Ana.

  3. An sofa amrelo nossa lindo! abraçosa parabens, estava mesmo sentindo falta das postagens, maravilhoso apto, adorei a cozinha do jeito que está e esse

  4. … realmente Ana, com tantos planos terás algum trabalho! Mas já está bem legal a área de jantar/estar/escritório. Boa sorte e espero ansiosamente por inspirações, porque néh, a gente muda o tempo todo e nossa casa reflete isto, por isto to sempre querendo por ou tirar algo.

  5. Querida Ana, eu te acompanho quietinha faz algum tempo. Gente que mora longe e é de Recife eram, de cara, a identificação inicial. Depois fui me vendo, umas leves inseguranças e exigências tão minhas. O teu post do desapego com a organizacao excessiva virou um mantra a sempre ser lembrado. Aí chego no hoje, um retorno teu pra o que pra mim , que também sou de Recife mas moro em SP, é um sonho. Que massa! Estar pertinho da família e nesse meio entre zona sul e norte, que eu nem sei onde é mas já acho perfeito.
    Eu estava nos EUA e acabei de voltar pra SP , tentando montar uma casa pra chamar de minha e lá vem Ana me mostrar que casa não nasce linda, mas se constrói.
    Mulher, tu és uma inspiração e ponto. Beijos sorte e boas energias sempre

  6. Amei… mesmo assim meio que em branco, já tem tua cara ai. Justamente pela oportunidade de criar ❤ Amei o piso de taco, as janelas em quase (?) Todos os cômodos… Enfim. Mete bronca ai que a gente fica feliz daqui também.

    E ó, que saudade que eu tava de ler o blog. Confesso que tenho perdido o hábito. Me senti em 2008. Amei ❤

  7. Acompanho você há muito tempo. Na verdade há muitos anos, desde que vi sua casa em uma revista dessas “Minha Casa”, “Decorar mais por menos” e me apaixonei primeiro pelo nome “A casa que minha avó queria”, por causa da minha saída da avó, com quem morei metade da minha vida e adorava arrumar e mudar as coisas da casa. Gostei tanto do jeito que você escrevia, gostei da sua criatividade e você me inspirava. Hoje, ao olhar esse novo apt seu, fiquei triste, pq achei ele triste. Mas acho que ele tem muito potencial. Ele é de tacos e acho poético. Ele é enorme e você com sua criatividade vai deixá-lo convidativo, alegre e com vida. Te admiro, Ana e te adoro também! 🙂

  8. Nada como uma tela em branco nas mãos dos talentosos. Nova vida e novas oportunidades de exercitar a criatividade que faz de vc a Ana Medeiros. Certeza de que vem coisas lindas por aí.

  9. Sabemos que sairá algo maravilhoso!
    Gostaria de ter esse dom te transformar tudo. Ansiosa pra ver as maravilhas que você vai fazer. Bom dia.

  10. Oi Ana, sempre entrava no blog com esperanças de ver “A CASA NOVA”.
    Enfim esse dia chegou, kkkkkkk… ainda a muito o que fazer, mas vc chega lá.
    Essa cozinha me lembrou a do primeiro apartamento lá no Rio, ela era escura… tinhas uns pisos estranhos.
    Mas vamos em frente, com sua criatividade vc chega lá!

  11. Mulher, tirando o combo cozinha/área de serviço/quartinho, que tá bem gambiarra feelings, o resto tá legal! Mas deixa eu dizer: taca cor nessas paredes! Tu bem sabe que isso já vai dar outro clima, e nem é assim tãããão caro (não é barato, mas não é os zóio da cara). Beijo!

  12. Eu adorei, e achei q demorou pra sair esse post (sim , muito curiosaaaa) rss. Vou aguardar as transformações ansiosamente , pq eu tambem me mudei e a grana ta curta “demais da conta” rss. Bjs sucesso pra vc.

  13. Fico muito impressionada com sua capacidade de mudar e se reinventar. Aquardando com ansiedade todas as transformações, o antes e todos os depois,rs.

  14. Olá, sou designer, me manda as medidas da sua cozinha, eu te dou uma sugestão em 3D p vc.
    Dirce ( email- dircearib0@gmail.com ) dircearib (zero), Não sei onde estava c a cabeça p colocar esse zero que todo mundo confundi com um O, Adoro seu blog.

  15. Caraca quantas possibilidades nesse novo lar. Tudo que tu faz fica bárbaro , então não te preocupa as ideias virão e a grana a gente corre atras e mesmo que de vagar e aos pouquinhos ela aparece. O mais importante é essa garra, essa força. Te admiro muita coisa e amo esse espaço cheio de ótimas histórias e de de coisas lindas pra casinha. Tomara que logo a gente consiga ver tudo ficar com a sua cara, faz a gente ter vontade de transformar o nosso cantinho também . Beijos!!

  16. Ana, boa sorte na nova fase! Que delícia de espaço! Bora pintar essa porta do hall de uma cor bem lindona! Por hora, eu só mexeria na disposição dos móveis da cozinha… tentaria deixar geladeira e fogão na mesma parede, porque são peças grandes, que ocupam muito espaço (em profundidade, principalmente) e, nessa mesma parede, no espaço que sobrasse, faria uma bancadinha, (só um tampo de MDF mesmo, comprava na marcenaria, apoiando em mãos francesas, pra ficar barato).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here