Um passeio pela cidade que moramos

Há quase dois anos nos mudamos do Rio de Janeiro pra Gravatá, uma cidadezinha no agreste pernambucano, que encontra-se a 84km de Recife. Por que escolhemos esse lugar pra morar? Bem, eu já havia morado aqui quando era criança e depois na adolescência e meus pais já vivem na cidade há uns 15 anos, ou seja, estou praticamente em casa.  Já para o Leo quase tudo ainda é novidade. Viveu a vida inteira em sua cidade natal (RJ) e morar agora em um cidade pequena (Gravatá tem em torno de 80.000 habitantes) é uma mudança bem radical, mas ele está adorando tudo e nem cogita a possibilidade de um dia voltarmos pra qualquer metrópole que seja.

A cidade tem como principais atividades econômicas a agricultura, pecuária, o comércio varejista, o polo moveleiro do Estado, que concentra um grande número de fabricantes de móveis rústicos e semi-rústicos em madeira maciça, e o turismo e que cresceu consideravelmente nos últimos anos, dando inicio também, a um boom imobiliário na região.

Hoje temos muitos hotéis e resorts por aqui, além de condomínios e novos empreendimentos sendo construídos, e foi falando sobre esse assunto, que decidimos usar o nosso tempo livre essa semana pra darmos um giro e conhecermos melhor o lugar que estamos morando, fotografar e tomar um chocolate quente.

O que podemos perceber ao longo da nossa tarde de expedição, como bem chamou o Vinícius? Que toda a cidade tem seu charme, apesar dos contrastes e dessa invasão imobiliária, que ora soa como crescimento e desenvolvimento e noutras como ameaça.

A diversidade na arquitetura das casas é bem explícita dependendo do ponto que estamos:

No centro temos as construções mais coloniais e charmosíssimas.

gravatá

No nosso bairro temos casas construídas nos últimos 60 anos ainda com sua estrutura original e também outras reformadas recentemente…

_CASAS_GRAVATA_NOSSO_BAIRRO

Já em volta da cidade, em lugares mais afastados do centro onde antes víamos somente o verde, temos as casas lindinhas dos condomínios, a maioria em um estilo rústico, de tijolinhos, madeira ou mistas.

_CASAS_GRAVATA_CONDOMINIOS

Nos bairros mais populares, encontramos as casas mais simples e com carinha de interior…

_CASAS_GRAVATA_POPULARES

E por fim, as casas e pequenos prédios que estão sendo construídos nem tão longe, mas também não tão perto do centro.

_CASAS_GRAVATA_NOVOS_EMPR

Achamos que aqui é um bom lugar pra viver, ainda que com todas as limitações e pouca estrutura, em comparação aos outros lugares que já vivemos juntos (Recife, SP, Rio). E sim, as casas de Gravatá são puro amor <3

Este post faz parte da parceria entre o ACQMVQ, Brastemp e Finish. Agora, como tenho uma máquina lava-louças e, portanto, não preciso mais lavar a louça na mão, tenho mais tempo para me dedicar a fazer atividades legais, tanto individuais como com minha família. Você verá aqui nas próximas semanas um diário de como ando aproveitando o meu tempo livre.

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

14 Comentários

  1. Interessante, o que uma quer a outra não quer mais. ​O que é evolução para uns, para outros é lembrança de uma época de poucos recursos (cimento na parede e pisos). Na realidade todas as mudanças refletem o desejo de novas experiências. Eu gosto muito muito de mudar a casa, não gosto de móveis que só servem a um propósito exatamente por isso, não gosto também que sejam planejados para somente um local, preciso muito poder mudá-los de lugar. E por aí vai a respeito de decorar e viver.

  2. Adorei o post, Ana!
    Um dos meus passeios preferidos é zanzar pelas ruas da cidade com alguém e ficar observando e comentando sobre as casas! 🙂
    E bom que assim já podemos ter uma ideiazinha de como é Gravatá!

  3. Amo as cidades interioranas, Ana. Nasci em uma e amo!
    Cada detalhes das pequenas cidades tem sua cor, seu cheiro, suas vantagens!
    Não sabia que vcs tinham saído do Rio. Enquanto acompanhava o blog, vcs estavam se adaptando ao Rio… Mas fico feliz em saber que estão perto da família, que vocês tem pessoas para apoiarem… Mas fala sério, viver longe das metrópoles, é muuuuuito melhor para a qualidade de vida! 😀
    Interior é vida!!!!
    Viva!!! \o/
    Beijocas.
    Carol Santana
    http://inspiracaodacasa.blogspot.com

  4. Ai Ana. Realmente Gravatá é muito linda. Adoro o clima daí, nem parece que estamos no NE, né? O sonho do meu marido é comprar uma casa por ai. Tou passando algo parecido. Somos de Recife e há quase 2 anos tivemos que vir morar em Araripina, sertão de PE, também de 80mil habitantes. Nunca achei que fosse me adaptar tão bem. Não pensamos mais em voltar a morar em Recife, agora ir pra lá só pra visitar a família. Não troco mais a tranquilidade do interior pela loucura de nenhuma metrópole também.
    Beijos!

  5. Tenho muita vontade de morar em Gravatá, tem um clima de interior, sem ser tão longe da capital, de vez em quando me pego fazendo pesquisa de preços das casas, e não é ruim. Pena que minha filha esse ano está indo pra o terceiro do ensino médio e seria complicado já que sempre estudou por aqui, quem sabe mais além.

  6. Nossa Ana.. Acompanho seu blog há alguns dias e virei fã! Sempre venho olhar as novas postagens que são sempre ótimas!
    Mas não imaginava que vc mora bem na minha cidade!! Que feliz de vê-la novamente! Sou gravataense, mas no momento moro em São Paulo!
    Lindo o post.. Retratou bem as belezas da cidade. Se bem que é só um pedaço né.. Tem bem mais coisas! Mas pelo menos estimula os que aqui vem a querer conhece-la e saber mais sobre! Parabéns! Bjs

  7. Mas que lindo Ana! Vou plagiar: “a casa que eu e meu marido queríamos”… rs
    Cheias de charme, colorido e beleza.. Encanta os olhos! Dá uma vontade de ter essas escadinhas e janelas pra gente…

    Que seja harmoniosa e abençoada essa mudança!

    Quanto a lava-louça, fizemos uma aquisição não tem 6 meses. Santa lava-louça, diria… Que inventando maravilhoso pra valorizar mais as donas de casa… Hoje quando sobra as louças que não cabem ou não podem ir dentro (como o alumínio), lavo com prazer e não como antes que me matava (e marido também) em lavar e lavar e nunca acabar..

    Beijos querida!

  8. Eu que moro em Campinas/SP e acho aqui uma míni-sampa fiquei maravilhada com a casinha verde, com o jardim na frente e o portãozinho de madeira, que cara de chácara, que delícia deve ser morar numa casa assim!

  9. EU AMO Gravatá! Sempre ia no São João,pois minha avó sempre morou aí,mas agora só vou 1 vez ao ano! Mas mesmo assim não perde a magia!Vc é muito sortuda de morar numa cidade tão acolhedora como Gravatá. :3
    bjs ,amo seu blog,quero colocar todas as ideias em prática… futuramente! ahaha

  10. Passei o natal e final de ano em Gravatá. Amei a cidade, o estilo das casas, os móveis de madeira e o clima!
    Ah, sempre leio os seus post, parabéns pelo blog (:

  11. Oi Ana,
    moro no interior de SP e tive oportunidade de conhecer Gravata numa festa de São João a 4 anos atrás.
    Fomos com uma amiga de Recife e adoramos!
    Eu e meu marido comemos (sem dúvida) a melhor cartola de Pernambuco…. mto boa!
    bjs e boa semana!
    Tatiana

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here