Plantinhas de presente – Amolecem até coração de pedra.

Taí uma coisa que tenho que aprender mais sobre elas: Plantas! Confesso que assim como cozinhar, cultivar o verde não é meu forte, e as poucas plantinhas que tive em casa…er, sabe como é né…hum…Morreram. Desculpa.

Semana passada ganhei uma pequena mudinha e fiquei meio caidinha de amor. Preparei um vasinho, coloquei em um canto especial, estou tratando como rainha. Espero que não seja amor passageiro, nem que ela resolva me abandonar por qualquer falha minha. Achei um presente carinhoso e bonitinho de se ganhar, e pensei que daqui pra frente, colocarei plantinhas na minhas lista de presentes. Se até eu fiquei comovida gente…

(Buquê de flores comprado na floricultura não vale, só pra deixar claro).

Como o dia das mães está bem próximo, pode ser um presente lindo e bem significativo, né môpovo? A amiga que faz aniversário nos próximos dias vai adorar, o amigo que tá indo morar sozinho vai curtir o dinossauro natureba da foto abaixo, e até a sua sogra vai amar qualquer um deles. Sogras adoram plantas. 

Posso te garantir que amolece até coração de pedra.

plantasdepresente

Então cola nesses links e voilá:

Mini suculentas em casquinha de ovos – Delicadeza pouca é bobagem neah? Aqui ensina como fazer.

Jardim vertical reaproveitando potes de vidro – Mais algumas considerações vindo por aqui.

Quando a embalagem é a cereja do bolo do presente – “Cachepô” de papel aqui, e ainda tem outros dois modelos.

Jarros de barro são baratos e altamente customizáveis. Aqui uma versão neon, super na modinha.

Bichinhos de plástico pintados com a tinta spray estão virando verdadeiras pragas (no sentido fofo da palavra) na decoração. Por isso, arrume uma forma de fazer uma cirurgia neles e coloque lá dentro uma plantinha. Mais inspirações, aqui.

 

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

1 Comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here