O belo e o útil

O que de fato importa na decoração da sua casa? O que é necessário para se sentir bem no ambiente que você vive?

Será que o seu exterior influência tanto assim na sua bela pessoinha e de quem convive com você? Estamos falando aqui de decoração e bem estar, comadres e compadre, concentra!

Vamos a um pequeno exemplo, que pode até parecer bem bobo, mas tem mais importância do que você imagina:

Você chega numa loja para comprar o seu primeiro sofá, ou vai trocar o seu antigo por um novo. Logo se depara com um super lindo, design bacana, com estofado amarelo, do jeito que você sonhou. Resolve dar uma sentadinha e acha ele um pouco curto, suas pernas ficam meio perdidas e você não sabe se é somente impressão ou realmente sente-se incomodada.Fica mais um pouco ali e seu bumbum começa a ficar quadrado…Mas pô, é o sofá dos seus sonhos! 

Resolve andar mais um pouco e encontra outro sofá: Mega confortável, que te pega no colo, abraça e faz cafuné, mas ao invés de amarelo lindo reluzente, ele tem uma cor de barro, meio desbotado, até parece que o tecido tá sujo, o estilo dele é meio retrô, não combina muito com você. Mas pô Ana, que sofá mais macio, perfeito pra me jogar quando chego do trabalho!

Qual dos dois você compraria???

Bem, vou deixar você pensar um pouco…

sofa

” Enquanto a beleza é amada por si mesma, o útil é amado em razão do fim a que se destina. Sem a utilidade, o objeto/ambiente se perde no espaço, porém este objeto/ambiente deve satisfazer o sentimento de beleza”.

Sempre falei aqui no blog que sou totalmente intuitiva na decoração da minha casa, as coisas sempre são decididas porque ficou legal assim e não assado, porque eu gosto desse jeito e não de outro, porque reúno e disponho móveis e objetos, cores e estampas, com esse filing que já trazemos de fábrica. Claro, nem sempre a gente acerta e nem agrada a todos, mas o resultado tem que ser satisfatório pra quem mora aqui, e no seu caso, pra quem mora com você. Opiniões alheias não importam.

Depois que comecei a estudar design de interiores, algo tem mudado nesse meu serzinho…Sim, tenho  me tornado mais exigente, e se antes era meio rebelde em aceitar as tais “regrinhas”, coisa que vocês já me viram muito esnobando aqui no blog, hoje vejo elas com amor no coração.

Qual motivo dessa mudança? A reflexão veio justamente dessa indagação sobre o belo e o útil, que não necessariamente estão distantes, aliás convivem numa boa muito mais que  separados, mas que para ser percebido, é preciso sim, um pouco de ordem e entendimento de quem precisa fazer escolhas como as que citei acima.

E a escolha não se faz presente somente no momento da compra. Você também precisa decidir sobre muitas outras coisas quando chega em casa, como por exemplo: “Qual a melhor posição para o meu sofá”, “Colocar que cores de almofadas ou não colocá-las?”, “Preciso aqui de uma mesinha lateral?”, “Que cor pintar a parede atraś do sofá?”, “Que distância do sofá a televsão deve ficar para que não me incomode?”.

Essas são apenas algumas perguntinhas que fazemos, mesmo que inconsciente, quando compramos um móvel pra nossa casa, mas o mesmo acontece com a cortina, com um vaso ou tapete. E tenho que te confessar e me render, uma boa orientação e cohecimento, irão te ajudar muito para que a sensação de bem estar e satisfação seja plena.

Como disse pra vocês lá naquele primeiro post sobre o meu curso, vou trazer um pouco dos assuntos da sala de aula pra cá, afinal, vocês também são responsáveis por essa sede de querer mais, de me profissionalizar e amar cada vez mais o assunto. Acho justo devolver todo o incetivo em forma de conhecimento, compartilhando o que aprendi.

Nas próximas semanas vamos falar um pouco de Liguagem e Composição ambiental, e tudo será escrito aqui de uma maneira informal e despretensiosa, através desse bate papo gostoso que mais parece que nos conhecemos há anos, afinal, sou só uma estudante cuirosa e uma pessoa madura (cof cof) de 30 que tem um blog de decoração…rs. Combinado?

Ah, sobre a resposta acima, espero que você tenha pensado em “Nenhum dos dois Ana”, pois essa é a resposta certa. Vamos procurar uma terceira opção, pois assim como toda a decoração da nossa casa, um simples e importante sofá, além de ter de ser funcional, atendendo às necessidades físicas, também precisa ser bonito, lindo aos seus olhos, para que atenda as suas necessidades emocionais. 

Boas escolhas pra gente.

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

5 Comentários

  1. Ai, Aninha!

    É sério que você está nessa dúvida quanto ao sofá? Estamos vivendo a mesma fase, então.

    Preciso comprar o meu primeiro sofá e simplesmente não acho nada que se encaixe na minha ideia de design e conforto ao mesmo tempo.

    Na verdade, até achei um, mas como era totalmente diferente do que pensei a princípio, fiquei meio com o pé atrás.

    Será que é hora de quebrar velhos conceitos pessoais? A semana que vem dirá!

    Beijos e sucesso!!!

  2. Juro que também pensei nenhum dos dois.Pois de que adianta ser lindo e não ser confortável,ou ser confortável e não ser lindo.O negócio é unir o útil ao agradável e procurar até encontrar.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here