Experimentando o outro lado e 7 bons motivos para morar no interior

Igreja Matriz - Gravatá (PE)

Vi um post esses dias no Apartment Therapy sobre as vantagens de morar numa cidade pequena e resolvi fazer a minha listinha.

Após ter morado em três grande capitais (Recife, São Paulo e Rio de Janeiro) e agora aqui no interior de PE, acho que consigo avaliar um pouquinho as vantagens dessa nova vida, apesar de recente. Claro que muitas facilidades dos grades centros urbanos a gente não encontra numa cidadezinha pequena, e aqui em Gravatá, a minha grande preocupação é com o atendimento médico.  A cidade não tem nenhum serviço de emergência particular e o único hospital público tem lá seus problemas.

Ponte no centro da cidade

Mas outro dia a gente fala das desvantagens ne? Esse post é sobre as delícias do interior.

1- Você conhece quase todo mundo – Antônio do mercado de carne, Betânia da padaria, Netinho filho de Zeca dos móveis, isso pra mim é uma vantagem.As pessoas acabam sendo mais solícitas umas com as outras. Ainda não conheço todos os meus vizinhos, mas eu não me sentiria intimidada se tivesse que pegar um copo de açúcar na casa de qualquer um deles. Gente, eu moro numa cidade de mais de 80 mil habitantes, mas quando saio na rua vejo sempre os mesmos rostos e não tenho medo de ter um treco no meio da rua e o povo me ignorar, entende? Numa cidade grande a gente se sente pequeno. Numa cidade pequena a gente se sente grande. É bem isso e não sei explicar.

Colégio Salesianas

2 – Toda cidade do interior tem uma arquitetura charmosa – Até as casinhas de uma janela e porta tem o seu encanto.

Adoro essas casinhas

3- Você só precisa gravar os últimos quatro dígitos dos telefones fixos – Já que o prefixo em toda cidade é o mesmo, e pra quem tem a memória de uma ameba, isso é bom demais.

4- Você não demora mais de 10 minutos para chegar em qualquer ponto da cidade – Aqui só tem trânsito em período de festas e feriados, quando os turistas lotam as ruas. Claro que é um engarrafamento pequeno, nada comparado aos infernos das grandes cidades. Andar de ônibus aqui é uma tranquilidade, já adotei na minha rotina e também não fico nem 5 minutos sentadinha e já estou no centro. Quando estou muito apressada pego um moto taxi (Depois conto com mais detalhes a verdadeira comédia que é essa parte da minha vida). E se o dia estiver bom e minha disposição idem, vou até o centro numa caminha de 20 minutos (E olhe que moro “longe” dentro dos parâmetros do povo gravataense).

Coreto

5- Feira livre, produtos fresquinhos e preços mais baixos – Entrei no mercado de carne, mas fiquei meio cismada, não gostei da “conservação”. Já as frutas, legumes e verduras…ah que maravilha viu? O cara que planta é o cara que te vende. Se eu te contar que aqui ainda passa o senhorzinho com o leite fresquinho no bagageiro da bicicleta?! Também não compro porque tenho medo do Vinico tomar o leite sem ser pasteurizado (Fui criada com esse leite e estou viva…mas sei lá ne?).

Prefeitura

6-  Você é convidado a conhecer melhor o lugar que você mora – O que você pode fazer numa cidade que não tem cinema, teatro, praia, shopping? Noutro dia a gente acordou, olhamos um para o outro e dissemos: E agora? Trocamos de roupa e fomos andar pela paisagem que vemos da nossa janela. Descobrimos um restaurante lindo (próxima vez que for lá vou fotografar pra mostrar pra vocês, uma graça), mostramos os cavalos ao vivo para o Vinico de uma fazenda/chácara próxima daqui e voltamos pra casa nos lambuzando de churros com cobertura de chocolate. “Ah Ana, mas isso cansa”. É, cansa de vez em quando mesmo, mas daí a gente pode ir pra Recife  a qualquer momento e dormir na casa de um parente, dai é só tirar o “atraso” do cinema. Também podemos programar uma viagem à praia em um final de semana. É interior, não é fim do mundo.

 7- Você também é convidado a ser criativo – Como viver em um lugar que não tem lojas de decoração com as últimas novidades? Papelaria com os papéis adesivos mais bonitos? Se vi-ran-do! Visitando muitos blogs de decoração e exercitando a sua cachola, haha. Além de contar com muitos artesãos locais, trabalhos lindos que muitas vezes chegam às grandes lojas com valores absurdos de caros.

Centro/Comércio

 Acho que para uma pessoa jovem uma cidade pequena não é um lugar muito legal, também já disse muitas vezes “Deus me livre que moro aqui”. Mas as coisas na minha vida foram mudando e os meus ideais também, e apesar de sermos um casal de 29 anos apenas (me sinto jovem mesmo) não temos muitas ambições, nada além que uma pequena cidade possa nos oferecer. Estamos descobrindo as delícias de viver por aqui e iremos ficar até achar que devemos. Tem sido bom experimentar o outro lado.

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

57 Comentários

  1. Que delícia! Isso de conhecer as pessoas é incrível. Deve dar uma sensação de segurança! Aposto que seu filho vai poder andar sozinho pela cidade muito antes do que poderia numa cidade maior. Mamãe não vai ter tanto medo!
    Beijoca! 🙂

  2. Ana, li seu post hoje vendo as fotos com saudades da infância. Sou uma pessoa que amo interior e definitivamente não fui feita para morar em cidade grande rsrs… moro em SP mas com dor no coração e cada vez que vou viajar para o interior me sinto “em casa” sabe. Mas tenho esperança que um dia vou realizar meu sonho de sair daqui rsrs. Adorei as fotos, principalmente as casinhas na cor lilas e com a porta roxa, minhas cores favoritas. Bjs Fabi

  3. Eu morro de vontade de ir pruma cidade menor, mas que também seja perto de uma capital. Talvez eu prefira uma cidade de praia, mas se fosse pro interior daqui Gravatá seria uma opção, fácil!

    • @Alice O., pois estou precisando urgentimente de um lugar como gravata, sou de uma regiao agreste mas ultimamente estou morando em petrolina pe, a cidade e otima, mas o clima é infernal, temperatura a cima dos 40, é insuportavel.

  4. Como você, fiz uma grande mudança na vida. Mudei do Recife-PE para uma pequena cidade do interior paraibano, Sousa-PB, uma cidade mais ou menos 75 mil habitantes… no começo foi difícil, mas hoje já consigo ver muitas vantagens… minhas filhas são crescidas, e duas delas ficaram lá, em Recife…. fiquei inspirada e quando voltar lá pra Sousa-PB, estou de férias em Recife, vou fazer um post inspirado no seu. Sobre Gravatá. É uma cidade muito linda, e tem a vantagem de ser próxima de grandes centros, o que não é o meu caso. Mas vamos aprendendo a amar, o que temos e sermos felizes.
    Um beijo
    Telma

  5. Ana, sou uma paulistana apaixonada por Recife e Gravatá. Conheço todos esses pontos da cidade fotografados por você. Realmente, deve ter muitas vantagens residir no interior. Eu moro em Recife, mas sempre que posso vou passear em Gravatá e região… Adoro o clima de Gravatá, suas casinhas lindas, a rua do artesanato, o “churros”, bom demais… Seu filho com certeza, vai crescer com outros valores, que só o interior consegue dar… Felicidades… Curta muito esta cidade maravilhosa. Bjs

  6. Também estou passando por este momento me mudei a pouco para uma cidade pequena, interior de minas, eu to adorando, mas meu esposo nem tanto….ele ainda não desestressou…rsrsrss…
    Muita linda a tua cidade! Beijos!

  7. É uma verdadeira delícia morar no interior! Minha cidade não é mais tão pequena, mas ainda compro o leite direto da vaquinha como o homemzinho que vende no bagageiro da bicicleta, e olhe que isso já tem 29 anos..hhahaha. De vez em quando ainda fujo pra uma cidade bem menor. Minha filha se realiza na fazenda, com o pé na areia e brincando com os animais!

  8. Ana, meu sonho é sair de SP rumo a uma casa com quintal em uma cidadezinha agradável…
    Com relação ao leite, sijoga, minina! Ferve o dito cujo e depois você pode usar a nata (artigo impossível na cidade grande) para fazer as melhores massas de tortas e biscoitinhos do universo.

  9. Adoro cidades do interior. Apesar de Goiânia ter mais de 1 milhão de habitantes, me considero muito privilegiada em morar aqui. Mas vontade mesmo é de me mudar para algo assim como sua cidade: pequena, pitoresca, charmosa… e segura. Ainda chego lá !

  10. Ana,conheço tudo nesta linda cidade,passei parte de mh vida aí,mh família mora em Gravatá..foi muito bom ver essas suas lindas fotos e matar as saudades desta cidade encantadora..desejo que vc e sua família sejam muito felizes viu?? bjsss

  11. Ana fofa,lendo esse post tive que comentar pq estou rindo horrores aqui qnd vc fala à respeito do leite!
    Moro numa cidade pequena tmb e leite fresco é melhor que qualquer outro leite industrializado,pasteurizado…enfim…leite industrializado tem seus aditivos,conservantes vc não pode tá falando sério qnd diz que tem medo de da o leite fresquinho ao seu pimpolho,muitas mães acho que a maioria pelo menos que eu conheço usa o leite fresco pra alimentar os filhos e sabe qual a diferença? A qualidade. Leite fresco é só colocar no fogo e ferver! Sai todas as impurezas e pode introduzir o leite aos poucos,claro se vc quiser e não entenda isso como uma critica ruim é só uma forma de encorajar vc…xeroo’s!

  12. Engraçado como as coisas vão confluindo. Ontem mesmo estava pesquisando algumas cidades interioranas que eu pudesse morar. Estou exatamente nesse movimento de enxergar novos valores e vontades em mim.
    Tenho 30 anos, me sinto super jovem também, mas mais do que acesso a shoppings e cinemas, tenho muita vontade de viver em um lugar em que o tempo possa ser saboreado, ao invés de atropelado.

  13. Moro em um município da grande São Paulo, aqui também não é muito grande, também não tem teatro, cinema, nem shopping, só nas cidades vizinhas, morei pouco tempo da minha vida longe daqui,mas senti muita falta, voltei e hoje acho que não me mudo mais, realmente reconhecer o rosto das pessoas nos dá uma segurança. Feliz dia do amigo e um ótimo fim de semana!

  14. Adorei a cidade, super charmosa!!! a minha não é tão bonitinha, mas temos as mesmas características, 90 mil habitantes.
    Quer saber?? adoro isso aqui… Mas temos algumas vantagens, estamos perto de uma região muito rica de natureza. Não tem praia, mas tem cachoeiras lindas. Não tem grandes zoos, mas tem pequenos e charmosos, onde as crianças podem ter contato direto com os bichos, tratadores.
    Não tem cinema grande, mas tem pequeno, com a vantagem de podermos votar no lançamento q queremos assistir…
    Adorei a certeza de q se cair dura na rua, vão te socorrer, hahahaha. Adoro seus posts…

  15. Sempre morei na capital e confesso que não tenho vontade de sair. Acho que sentiria depressão se fosse morar numa cidade atrasada, com poucos médicos e outras coisas mais. Mas, adorei o seu post e as fotos.
    Bjs, Aninha.

  16. Nossa faço minhas as tuas palavras.
    Optei por morar na “roça” também.
    Ontem até comentei no Face com uma amiga dessas vantagens, e fiquei de tirar fotos para fazer um post. Ando inspirada pela cidade.
    Beijossssss

  17. meu Deus!! vocês aqui a falar de cidades “pequenas” com 70, 80, 90 mil habitantes! a cidade de onde sou – Porto, Portugal – deve ter uns 270 mil e é a segunda maior do país! e não imagino demorar 20 minutos a percorrer a cidade (sem trânsito)… acho estas diferenças entre países e percepção do espaço muito interessantes.

    • @sibila, Minha família é portuguesa, minha mãe já falecida era de trás os montes, meu pai já falecido era de Ferreiros, e tenho parentes no Porto e Lisboa.

      Quanto a informação realmente há muitas diferenças sim, uma cidade do interior com 270.000 habitantes aqui não é mais interior e tem violências como qualquer cidade grande.

  18. Ahh..é mto bom morar em cidade pequena..aqui em Ubatuba,tb temos uns 90 mil hab., tirando as férias que a cidade lota..nos outros meses ela qse morre, ..temos muitas lojas de artesanato (carissimas por sinal) e agora estão construindo um teatro..ahh temos praia e não ando de ômibus pq acho caro a passagem…rsrsrsrr…meu meio de transporte é a bicicleta..morar em uma city pequena tem suas vantagens e desvantagens…mas acho que em qualquer lugar é assim..Bjinhoos!

  19. Gostei do post. Moro em uma cidade bem menor que a sua (44 mil habitantes) haha e ainda existe verdureiro passando de casa em casa.Acho muito legal isso. O ruim é que não tem nada pra fazer meeeeesssssmo. Aí vamos pra rua ficar andando pra lá e pra cá ou sentar nos banquinhos do passeio da avenida principal. Outra coisa ruim é ter que ir morar em outra cidade pra fazer faculdade. Mas né, faz parte! E concordo com todas as vantagens que você colocou no post! 🙂

  20. Deixei Olinda há 8 anos, troquei por Carpina e Caruaru…e sabe de uma coisa ‘n me arrependo’ a 1° lição foi viver com bem menos…2° apreciar a natureza respirar um ar puro e agora poder ver meu caçula subir na goiabeira,brincar com os coelhos ,colher flores e frutas…isto n tem preço! Parabéns pelo post, eu amei é tudo isso e mto mais. xero

  21. concordo, mais sei o quanto e dificil a adaptação , espero q vc se acostume, sai do rio e fui paRa ipatinga e nao deu certo , nao gostei nada, tinha ate saudade do cheiro da av brasil em dia de congestionamento, pode? AGORA ESTOU EM CURITIBA QUE E UMA CIDADE GRANDE MAIS COM CARA DE INTERIOR, ainda nao sei se gosto, mais pelo menos aqui tem tudo que o meu rio tem , so nao tem o calor…existem lugares que sao nossos, e quando vc chega diz aqui e o meu lugar, o rio pra mim e assim , embora tenha nascido em sao paulo e tb morado em varios lugares, espero q vc tenha encontrado o seu lugar, felicidades sempre

  22. Ah Ana! Covardia! Gravatá é quase uma capital pow! Bons restaurantes, bons hotéis… tem pracinha… coreto… linha de trem (sem trens!) Você esqueceu de dizer que é pra onde correm todos recifenses no fim de semana. Moro em Bezerros que é coladinho a Gravatá e me aproveito de tudo que tem por aí, como por exemplo o festival Virtuose que aconteceu na igreja matriz semana passada. Fui todas as noites. Música clássica de primeira e de “grátis”. Ih, ia esquecendo do mercado que foi revitalizado: um barato!

  23. Sabe qual é a grande vantagem que eu vejo em uma cidade pequena? A segurança. E a liberdade que isso traz. Poder voltar para casa à pé, a qualquer hora e, principalmente, pra quem tem filho pequeno, a liberdade de poder brincar na rua, de ter uma vida além das paredes de um apartamento.
    Problemas tem, e não são poucos. Imagine que você já percebe eles em uma cidade de 80.000 habitantes, eu moro em uma de 6.500, sendo que a metade está na zona rural…
    Beijos

  24. Oi! estou passando pra dizer que amei o post, sou de Recife mas hoje moro em Garanhuns que fica a 228 km de Recife é uma cidade maior que Gravatá com estrutura de hospitais escolas faculdades e é uma cidade linda como Gravatá.Morei também em Lagedo cidade com 50 mil habitantes e realmente temos que sempre olhar as vantagens de morar em cidades pequenas.Vou confesar algo, amo quando a cidade esta repleta de turista que me faz lembrar de Recife.Um cheiro pra você e tudo de bom.

  25. Aahh… Eu moro em Brasília, mas há tempos venho sonhando com um cantinho no interioorrr ou numa cidadezinha beira-mar! Minha família é do interior de Minas… Do meu marido, do interior de São Paulo… E eu ando um tanto quanto cansada de toda essa movimentação de cidade grande!! Cansada de pegar 2 ônibus + 1 metrô pra voltar do trabalho pra casa… Cansada de ônibus e metrô lotados… Queria curtir mais tempo na minha casinha, ir ao trabalho a pé… Etc… Etc.. Etc… Tudo isso q as cidades pequenas nos proporcionam!! Amei o post!! 😀

  26. Ana, como sempre seus posts são lindos, também moro no interior a uns 6 anos, no começo é muito difícil…mas vale muito a pena, são 5 minutos até a escola do meu filhote, passeio na praça.Todos na cidade dizem que meu filho é tão perecido com meu marido, que se eu o perder devolvem na minha casa.Mãe sabe a tranquilidade que isso trás ao nosso coração.Beijinhos

  27. Adorei o post!
    Sou de uma cidade a 50km de São Paulo, e apesar de ser grande, meus amigos paulistas sempre davam risada porque eu era “caipira”.
    Hoje moro na capital e sinto muitas saudades de Mogi, dos telefones com o mesmo prefixo e das caminhadas tranquilas.

  28. Liiiindas fotos!
    Penso que uma das coisas mais bacanas de se morar em cidade do interior é poder andar pelas ruas bem menos preocupada, poder fotografar sem medo.
    Adoro fotografar no centro, mas confesso que só faço isso quando estou acompanhada de no mínimo duas pessoas. rsrs

  29. Morei a minha vida toda em São Paulo e há 3 anos nos mudamos para Avaré, interior. Apesar de não ter muitas opções de lazer (entendo bem isso de não encontrar tantas novidades…e aqui nem tem Lojas Americanas rs) e o quesito “hospitais” também nos afligir um pouco, gosto especialmente do fato de em 20 minutos estar em qualquer lugar (ou em 5, se for o caso do moto táxi – algo que em São Paulo eu não conhecia hahahaha)

    Concordo e muito com a sua listinha!

  30. Eu moro numa cidade com mais ou menos seis mil habitantes,e gosto muito daqui.Concordo com a maioria dos pontos que você citou no post.Não demora muito pra chegar no centro (nem ônibus dentro da cidade tem),a tranquilidade e a segurança que temos,é bom demais.E nos dias de hoje,com a tal da internet,morar no interior não é sinônimo de estar longe de tudo.

  31. Que bom encontrar tantos comentários favoráveis à vida no interior. Estou em pleno processo de transição, saindo de Brasília e indo morar com a família em Piripiri, PI. Nosso sonho: uma casa com árvores, tranquilidade e um grande atelier! (…e internet!)
    Parabéns pelo post, Ana!

  32. Parabéns… muito sábia a tua escolha…
    Ainda moro no ABC paulista… mas como disse é apenas ainda!!!
    Olha, moro aqui a 12 anos e sou do interior… cidade de 12 mil hab. Linda e maravilhosa por sinal… estive lá na virada de ano, e não me arrependo nem um pouco.
    Sou func. publico, tenho uma vida muito muito corfortável e bacana, e mesmo assim vou trocar e me transferir para o interior… nada paga você ver as pessoas e conhecê-las como nas cidades pequenas. Paz, sossego, mais sinceridade, enfim, a vida como ela deveria ser.
    Apesar de poder fazer muitas coisas, diversão, comida, viagens, nada paga você estar em paz, ver seu filho crescer em contato com o mundo real, não apenas o de videogames, internet e trancafiado em cubículos chamados de apartamentos.
    Por mais que tenha tudo na cidade grande pergunto:
    Quando afinal as pessoas vão precisar desse tudo que tanto dizem… esse tudo custa bastante dinheiro, o resto é sofrimento disfarçado de felicidade!
    Bom, muitas felicidades nesta linda cidade e seja sempre muito feliz!!! Sofrer é pra quem quer!! e, mais da metade da população dos grandes centros sofre… TODO DIA!!!
    Grande abraço

  33. Adorei se blog Ana, tb penso como vc podemos sim morar bem com otima qualidade de vida numa cidadezinha de interior. me identifiquei com vc por adorar decoracao.( embora tenha formacao profissional em outra area) o que curto mesmo e ver um lugar feinho sendo tranformado num lugar bacana e com estilo. estou morando fora do Pais mais pretendo voltar e procurar.um lugarzinho charmoso pra viver e ser muito feliz. Vc foi e o seu astral maravilhoso. Me deu mais coragem para timar essa decisao..obrigado..te desejo felicidades mil.

  34. Ana, moro em um condomínio rural, nos arredores de Brasília, mas sonho me mudar para o interior de São Paulo. Quero levar meus filhos à escola a pé, comprar leite com o homem do leite e ir a armazéns. Gostaria de ter perto uma cidade de médio porte, mas penso que vou querer dormir tranquila quando meus filhos forem maiores e estiverem fora de casa.
    Meu marido vai se aposentar em alguns meses e acho que vou tentar realizar esse sonho. bj… não desista de tornar essa cidade sua.

  35. Boa tarde Ana. Encontrei seu blog por acaso e achei bacana, gostei muito.
    Vc falou q trabalha home office. Poderia me dar dicas sobre como fazer isso?Tem algo pra me indicar? Agradeço muito

  36. adorei os comentarios, nossa caiu como uma luva, estou pensando em sair do litoral de SP e ir morar em uma cidade tranquila de preferencia em casa, já que moro em apart. e acho uma prisão; já vi que existem condominios aonde moram pessoas sozinhas..gostaria de saber em quais cidades existem…ah gostaria de montar uma parceira de escritorio de advocacia na mais nova cidade……..se alguem puder me enviar informações e recomendações, desde ja agradeço

  37. Estou pensando isso pra minha vida também. E organizando para colocar em prática ano que vem. O difícil está sendo escolher a cidade. Como você tomou essa decisão? O meu trabalho me permite fazer essas mudanças e viajar por aí. Mas o do meu marido não! Mas acho que isso a gente tira de letra. ; ) A maior questão agora é decidir para onde ir… E descobrir a melhor forma de decidir é que está difícil!

  38. Boa noite!

    Meu nome é Eduardo, moro em Nova Iguaçu e tenho 56 anos, e gostaria muito de morar no interior, mas no momento não poderei, pois tenho uma filha de 22 anos que está terminando a faculdade em 2017, o que impossibilita a minha ida para o interior.

    Com certeza ela não vai me acompanhar, pois gosta de passear, mas não de viver, pois acredita que as opções são poucas.

    Quero dizer que quando optamos por morar no interior, devemos deixar o “interior” entrar dentro de nós e não tentar levar a cidade grande para o interior, pois com certeza iremos nos decepicionar.

    Quero uma cidade pequena do Rio de Janeiro ou de Minas Gerais, pois adoro esses dois Estados.

  39. Moro em uma cidadezinha no fim do mundo que nem aparece no mapa, no interior de SP, e concordo com tudo isso; principalmente com a parte do “todo mundo conhece todo mundo” kkkkkkkkkkkk

  40. Oi, nao vi de quando é a sua postagem, mas meu marido está pra ser transferido para esta cidade, estou gostando da idéia, mas sou tec enfermagem e vc disse que aí a saúde e meio complicada, , gostaria de saber mais a respeito. ..

  41. Olha, nasci e vivo em uma cidade de 30 mil habitantes. A principal vantagem é a tranquilidade, o quase constante vazio das ruas. Muitos dos que vivem em metrópoles acham que viver no interior é deprimente, angustiante e tal, mas não sabem o quanto é bom. Claro, aqui não há cinema, mas as locadoras e lojas dispõe de filmes em DVD por preços muito baixo. E por falar nos preços, nas cidades pequenas, as coisas são bem mais em conta, sem falar que o custo de vida é muito melhor. O comércio adapta os preços às condições dos clientes.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here