Deixando o preconceito de lado…

Engraçado que meu marido trabalha com móveis planejados e eu nunquinha falo sobre isso aqui, apesar de conversarmos diariamente sobre seus projetos. Talvez porque curta algo mais cara de vó mesmo, e por ser mais adepta a um tipo de “interior” menos industrializado e mais “mão na massa”.

Mas entre tantas conversas com o Leo, percebo que fui/sou meio preconceituosa em relação a esse tipo de  solução que muitas pessoas optam para compor a decoração de sua casa. O planejado pode ser sim muito pessoal, sem necessariamente ser só vitrine de loja ou capa de revista.

A liberdade de composição que muitas dessas empresas permitem aos seus projetistas, garantem uma total personalização do projeto, e pelo menos o que tenho acompanhado do trabalho dele, a casa pode ficar sim, tão humana e criativa quanto quem escolhe uma decoração mais craft, basta apostar também em elementos decorativos que retratem as lembranças, características e personalidade dos moradores, concordam?

Veja bem: O móvel planejado não é o “fim”, e sim o “meio”, no qual serão atribuídos tudo isso que acabamos de falar. Ele aparece como protagonista somente nos catálogos, afinal, é o produto da loja. Mas em nossa casa, o porta retrato, a lembrança de viagem, a bagunça do filho, os livros que compramos, o presente de aniversário, um projeto que você colocou em prática na sua casa depois de ter visto aqui no blog…Esses sim, serão as cerejas do bolo.

Os nichos dessa cozinha aparentemente “planejada” me chamaram atenção, até porque, quem me conhece sabe o quanto gosto de  cubos de todas as formas, cores, tamanhos em todos os lugares. Claro que se fosse aqui em casa já teria colocado muito mais firulas., hehe. Mas aos meus olhos, ela é linda e demonstra o quanto podemos aliar uma coisa e outra.

PS: O Leo é tão fofo que mostra aos seus clientes várias inspirações que posto aqui no blog, e outros que ele também acompanha pela blogosfera. Acho massa essa preocupação de orientar o cliente a pensar na decoração muito alem do produto que vende. #orgulhomaster

Imagens: Christopher Johnson

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

15 Comentários

  1. Te entendo perfeitamente, costumo dizer que não gosto de casa com cara de showroom. Mas se o cliente brifar bem o projetista e não tiver medo de arriscar sai muita coisa legal sim. O negócio é caprichar nas referências pro profissional entender o estilo do cliente. Beijin

  2. Tb concordo com vc e prefiro uma decoração menos “mecânica”. Mas gosto muito de lançar mão do planejado pra adaptar as minhas preferencias crafts e rusticas.
    Equilibrando cai bem!
    Adorei os nichos. 😉

  3. que texto lindo! é tom bom vermos reflexões sinceras e que nos ajudam a olhar um outro lado da questão e vão além do óbvio! obrigada pela leitura!

    Minha experiência com planejados não é boa — o que não quer dizer que nunca será, né? Materiais limitados,com pouca durabilidade e tempo de entrega além do suportável (3 meses!). Acho que achar também um bom projetista conta muito!

    Boa semana!

  4. Caramba esse maridão é multi uso mesmo, já começa ser porque é primo/marido, depois porque pinta, desenha, mexe com móveis, faz artes, se arrisca com decoração…Esse é realmente multi uso. Amei o texto Ana, bem elaborado. Vc escreve muito bem. xeru

    • Não sou a Ana mas vou xeretando td. hehehe. Eu lembro de ter lido em algum post que o marido é arquiteto (me corrijam se estiver errada).E como boa arquiteta defensora ferrenha da minha amada profissão acho msm que arquiteto é td isso e mais um pouco. bjs

  5. Olá!!

    Trabalhei com o Léo na ornare..rs tbm defendo os planejados.. suuuper aliados pra decoração e organização dos espaços.

    Mas.. cá estou por outro motivo.. chegou a minha arquitetura e construção nesse findi, e veio um caderninho das Pernambucanas.. com a sua carinha. Qdo vi achei o máximo, pq acesso direto o blog, e sempre me parece super intimo.. nem te conheço, mas parece q já te conheço, talvez pq o Léo comentava d vc, talvez pq eu vejo a sua foto direto aqui no blog.. mas me deu uma sensação de alegria por vc! o blog está ganhando credibilidade, confiança, e já é quase um ícone da decoração.. bom: é isso! parabéns!!!!

    • Oi Cristina, tudo bem? Ai que linda, obrigada pelas palavras viu? Fico feliz demaaaaaais, apesar de achar que não sou isso tudo não, hahaha. Leo manda beijos!

  6. Olá Ana,
    Meu pé atrás com os planejados já foi mencionado aqui nos comentários pela leitora Gabi (minha xará). Têm fama de ter qualidade ruim e pouca durabilidade. :/

    • Meninas, eu acho que depende muito da loja onde se compra. Meu marido trabalhava em uma que a garantia era vitalícia e os produtos de altíssima qualidade, porém caros pra caramba, um armário com valor de apartamento. Hoje ele trabalha em uma mais barata porém a qualidade é ótima tb.

  7. Estava conversando com alguém sobre isso, ou lendo em algum lugar, já não sei bem… Quando vc contrata um profissional, seja ele arquiteto, designer ou decorador, o interessante é mesclar a técnica com as particularidades (não me veio outra palavra) de quem vai de fato viver ali. Acho mt válido misturar planejados com mobiliário mais antigo, e incorporar objetos que tornem o lugar realmente pessoal.

  8. Oi, Ana, tudo bem??
    Nossa, me identifico tanto com seus textos! Minha forma de pensar é mto parecida com a sua com relação à decoração, meio que torço o nariz para casas que parecem vitrines. Estou construindo e sabe como é, o dindin já se foi há mto tempo, kk, mas eu simplesmente amei essa cozinha que vc mandou. Adorei os pontos de iluminação e mais do que isso, eu gostei das soluções aconchegantes dadas.
    Parabéns, vc é demais, beijos
    Pati

  9. Ana, gostei muito deste post. Eu penso assim como você… Não era muito a favor de móveis planejados, mas me casei e comprei um apartamento microscópico, rs. Tentei resistir aos móveis, mas na cozinha (super apertada) não teve jeito. Então procurei fazer algo mais clean o possível (até pra não pesar no bolso), para assim, poder dar meus toques e ficar com minha personalidade.

    Beijos! Bom final de semana!

  10. Adoro modulados se usados com direitinho. Acho que em alguns casos, e dependendo de que estilo de decoração você quer levar, modulados realmente ajudam nessa hora, mas não tem como depender somente disso. Os móveis ainda são mais frios e menos “interessantes” do que os outros tipos que tem por aí.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here