Como decorar um apartamento na praia

Durante esse confinamento o que tenho sentido mais falta é de uma prainha. Praia com as caipiroscas da barraca do Pingo, queijo coalho na brasa e caldinho (Quem não mora no NE sempre estranha que tomamos caldo de feijão na praia, hahah).

Enquanto os bons tempos não voltam, a gente pode falar dessa decoração com dicas super econômicas do escritório Oliva Arquitetura? Então vamos lá: Esse apê fica em Santos (SP) e tem 55m², com mudanças na planta, reaproveitamento de móveis e soluções práticas e funcionais, elas elencaram 4 dicas principais para decorar sem estourar o orçamento.

1 – Otimização dos espaços por meio da integração dos ambientes

Em plantas menores, como esse apto de 55m² projetado pelas profissionais da Oliva Arquitetura, vale a premissa de que ‘todo centímetro faz a diferença’. Assim, eliminar paredes e integrar ambientes oferece muitas vantagens. Nessa planta, a cozinha alçou status de área social e a circulação tornou-se muito mais gostosa e confortável. “Sem dúvidas, nossa decisão de demolir as paredes originais resultou em um imóvel muito mais agradável”, revela Fernanda.

Nessas otimizações, surgiu também a ideia do banco de concreto que percorre todo perímetro da parede onde está presente. Além de decorar e atuar como assentos extras para moradores e visitantes no estar, ele complementa as posições da mesa de jantar, propiciando também mais fluidez na circulação do imóvel. “Junto com esse respiro, a solução é multiuso, já que serve de apoio como rack para a TV, que tem os equipamentos dentro do nicho que encaixamos em sua parte inferior. Sem contar que dá super certo essa triangulação com quem está sentado na poltrona e no sofá”, detalha Bianca.

2- Soluções e praticidade

Criatividade e praticidade devem nortear as soluções trazidas para o projeto. No capítulo piso, entrou em cena as vantagens do piso porcelanato, que substituiu o taco que estava no apartamento reformado pelas profissionais da Oliva. Fernanda relatou que, em um primeiro momento, pairou uma dúvida sobre a reforma do piso antigo. “A decisão foi muito bem racionalizada, já que levamos em conta o fato de o imóvel estar localizado em frente à praia. Com a areia, que invariavelmente chega nos sapatos e no corpo e se acumula nos vãos, a demanda por manutenção é grande”, esclarece Fernanda. “Não tem praticidade e relação custo x benefício melhor que o porcelanato, ainda mais para um imóvel de veraneio”, complementa.

Para os mobiliários, a recomendação é descomplicar e trabalhar com peças práticas e com características bem definidas. Em um apartamento na praia, a rotina difere-se do endereço principal – um argumento que contribui para equalizar também a questão financeira. “É possível encontrar boas soluções sem a necessidade de investir um valor semelhante para a montagem da morada de todos os dias”, destaca Bianca. Na mesa de jantar, por exemplo, o tampo de vidro sobreposto à madeira reflete um cuidado adicional para a conservação do móvel, sem a preocupação de danificar com facilidade. “Consideramos que em uma casa de praia não dá para ficar ‘paranoico’ com manutenção do mobiliário, até porque muitas vezes trazemos pessoas que não estão em nosso contexto do dia a dia”, avalia.

3 – Um décor agradável e com a atmosfera de praia

Combinado com o conceito de um apto bem ventilado – contribuindo para a durabilidade do projeto –, o apartamento de praia viabiliza um décor com frescor, leveza, alegria e com a presença de cores. Nas paredes, a pintura foi a técnica escolhida.

Em um mix que agregou portas na cor laranja queimado e o azul – presente na sala e na meia parede que corresponde às cabeceiras dos dois dormitórios –, a graciosidade da técnica do tie dye deixou ainda mais impactante o espaço da área social. “Adoramos esse destaque, pois nosso intuito era trazer algo diferente dos demais acabamentos utilizados e trazer novos ares. Ficou super alinhado com a proposta de refúgio de praia”, diz Bianca.

Nos dormitórios, o pensamento de que ‘menos é mais’ favoreceu a proposta de ambientes bem ventilados e otimizados. A meia parede da cabeceira é arrematada pela madeira e os armários abertos foram escolhas acertadas para evitar o desconforto de mofo nos períodos em que o apto estiver fechado.

4 – Montagem do apartamento

Na elaboração do imóvel, cai muito bem reaproveitar peças em bom estado! Antes de iniciarem a reforma, as arquitetas fizeram um balanço para classificar o que poderia ser incorporado ao novo décor. Cadeiras, banquinhos, móveis laterais dos dormitórios e eletrodomésticos como refrigerador, fogão e micro-ondas ganham um novo visual quando incorporados em um outro contexto. Economizar é fundamental!  “É possível sim fazer uma reforma impactante com custo reduzido e vivenciar essa felicidade de estar na praia sempre que desejar. Compramos apenas os móveis que eram necessários e distribuímos de acordo com a proposta de cada ambiente.”, finalizam Bianca e Fernanda.

www.oliva.arq.br

@oliva.arquitetura

Amei demais esse projet0 =)

COMPARTILHE
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here