A minha mãe

Já deixei de tentar entender há algum tempo o porquê de nunca ter tido a minha mãe presente em minha vida. Acho que foi algo que aconteceu antes mesmo dela ser mulher, de conhecer meu pai, de engravidar. Minha mãe nasceu numa casa de muitos filhos, e hoje como mãe, entendendo toda a doação que uma criança precisa, vejo que ela nunca recebeu essa atenção. Ela não conseguiu sobreviver, não conseguiu absorver.

Bem, pode ter sido isso. E pode ter sido muitas coisas.

Minha referência de mãe foi mesmo D. Edite, foi ela quem me acolheu toda vida, quem cuidou e zelou esse amor. Da forma dela, de um jeito brando, macio e com pequenos gestos. Minha avó sempre me amou nas entrelinhas, sempre demonstrou o carinho através de uma mesa posta para o café da manhã, de uma frase breve e impactante em um momento difícil. Foi ela que repetidas vezes me disse “Nana, a sua casa é essa aqui, vá descansar um pouco no seu quarto”.

E hoje, pelos versos de Vinícius, eu me sinto tão feliz: Por ser neta e filha. Por ter mãe e avó. Por nós duas.

Minha mãe

Vinícius de Moraes

“…Quando eu corria doido ao teu regaço

Com medo dos fantasmas do telhado.

Nina o meu sono cheio de inquietude

Batendo de levinho no meu braço

Que estou com muito medo, minha mãe.

Repousa a luz amiga dos teus olhos

Nos meus olhos sem luz e sem repouso

Aninha-me em teu colo como outrora

Dize-me bem baixo assim: — Filho, não temas
Dorme em sossego, que tua mãe não dorme”

Desejo a todas as mães, avós e filhas, que esse amor seja o mais sincero, em toda e qualquer situação. Feliz dia das mães!!!

COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

14 Comentários

  1. tenho mae. querida mae. tive vó, super querida. ela sempre foi meu grande amor, por isso te entendo. ela se foi há 29 anos, mas mora em mim pra sempre. foi nada, ta aqui 🙂
    Bjs e feliz dia pra sua vo tbm.

  2. Vc é uma pessoa de sorte. Existem grandes encontros na vida, que bom que vc percebeu a elegância e suavidade do amor… Provavelmente foi sua vó que te ensinou a ser inteligente e aproveitar o máximo o que temos e não ficar empacado no que não se pode resolver.
    Passo sempre por aqui e não pude deixar de comentar este post delicado, amoroso e cheio de gratidão.

  3. Ana, sempre que leio o que escreve sobre sua mãe fico comovida. Tive minha mãe comigo, mas só fisicamente, porque nossa ligação sempre foi difícil. Infelizmente, tenho poucas recordações felizes da nossa convivência. Que sorte que vc teve sua avó, porque é tão triste quando o laço amoroso entre mãe e filha não existe. Hoje procuro ser muito carinhosa e presente na vida dos meus pequenos.
    Bjos.
    Lu

  4. Vejo seu blog a um tempão, fico imaginando através de suas fotos, minha futura casinha e como gostaria que ela fosse.
    Sempre tive muita vergonha de comentar em blogs, mas esse seu post merece um comentário. Que amor lindo! Fiquei super emociada! Feliz Dia das Mães atrasado! E parabéns, porque seu filho é lindo!

  5. Olá Ana,
    Suas palavras bonitas, poéticas ( apesar da profundidade destas ) me encantam.
    Sua avó é linda !!! Dá um beijo nela.
    Também tenho mãe e três avós ( uma que é irmã de minha avó materna ), é imensurável o que sinto por elas, mas, minha avó Helena ( materna ) meu anjo, hoje com Alzheimer, me ensinou tudo que sei e sou. Hoje cuidamos dela, eu passo as noites… O silêncio em que é obrigada a viver por causa da doença diz muito, me pede água com os olhos, me ensina a cada dia a olhar para as coisas devagar, lentamente…
    Desculpa, mas as suas palavras me tocaram muito, sou daquelas que tem guardado dentro de si o cheiro do pão de queijo da merenda da tarde que uma certa vovó Helena fazia.
    Beijos e obrigada !!!
    Lara
    p.s.: Não esquece de dar o beijo em tua avó !

  6. ñ conhecia teu blog. e quando abro, me deparo com esta declaração sobre tua mãe que pareceu,pra mim,dizer que te encontra quase que em paz com as escolhas dela,mesmo que as consequências tenham sobrado pra vc,o amor da tua avó.Bjs. Carla Cristina.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here